fbpx

HD Especialidades Odontológicas

Odonto x Áreas da Saúde

1 – Medicina

A Odontologia se insere em um conjunto de atividades que tratam da saúde geral das pessoas, assim, para que o tratamento seja realizado de maneira segura é fundamental que o cirurgião-dentista conheça as condições em que se encontra o organismo do paciente.

A Anamnese é o questionário que abastece o profissional de informações sobre o estado de saúde do paciente. É nela que se devem relatar problemas físicos passados ou atuais, alergias, condições cardiovasculares, etc.

Com base nos dados colhidos na anamnese o cirurgião-dentista é capaz de elaborar um planejamento para o tratamento e uma conduta terapêutica individualizada para cada paciente.

Existem alterações no estado de saúde do paciente que podem interferir ou mesmo impedir determinados procedimentos odontológicos. Neste caso é necessário o encaminhamento ao médico para que se restabeleça a saúde geral do paciente e, assim, possa ser iniciado o tratamento odontógico.

a) Otorrino

Percebida ou descoberta alteração respiratória no paciente deve ocorrer o encaminhamento a um otorrinolaringologista. Este profissional tem condições de avaliar se existe algum impedimento respiratório que possa prejudicar o crescimento e posicionamento dos dentes, ossos e músculos da face. Assim o paciente pode receber um tratamento completo, buscando-se a causa do problema.

b) Cardiologia

É a especialidade médica que faz prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças do coração e de outros componentes do sistema circulatório.

Algumas pessoas apresentam condições alteradas em seu aparelho circulatório, o que pode limitar ou mesmo impedir o tratamento odontológico.

As principais alterações cardiológicas e fatores de risco são:

  • hipertensão
  • obesidade
  • colesterol
  • diabetes
  • estresse
  • tabagismo.

 

É de extrema importância que um paciente, antes de submeter-se a tratamento odontológico, tenha suas funções cardiovasculares dentro de um nível aceitável de segurança.

Cabe ao cirurgião-dentista estar atento à saúde geral de seus pacientes e ter conhecimento sobre a influência que o tratamento dentário exerce sobre as funções cardíacas de seus pacientes, encaminhando-os ao especialista, quando necessário.

c) Cuidados especiais

Diabetes

O Diabetes Mellitus é uma doença crônica, com distúrbios no metabolismo de gorduras, proteínas e carboidratos por problemas relacionados à insulina, onde se observam sintomas como a diminuição na saliva, dor ou sensibilidade dolorosa na língua, distúrbios de gustação e, menos freqüentemente, infecções recorrentes e descalcificação dentária.

Para um atendimento odontológico seguro, é importante que o paciente relate seu estado clínico (duração da doença, medicação ministrada, reações adversas, dieta recomendada, histórico de complicações diabéticas, hospitalizações e quaisquer modificações no esquema terapêutico), para que nenhuma intercorrência venha a comprometer o andamento do tratamento ou sua saúde.

Osteoporose

O A Osteoporose é uma doença que atinge o sistema ósseo, enfraquecendo-o e tornando-o mais suscetível a fraturas.

Pacientes com osteoporose não são, necessariamente, de risco para implantes. A qualidade da região óssea receptora dos implantes deve ser analisada por meio de radiografias ou avaliação cirúrgica.

2 – Fonoaudiologia

Uma das áreas da fonoaudiologia é voltada à reabilitação e prevenção das funções estomatognáticas, ou seja, a deglutição, a fala, a sucção, a respiração e a mastigação. É por meio da prática correta dessas funções que teremos uma musculatura adequada, menos rugas e olheiras e menos alterações dentárias.

A alteração da respiração, por exemplo, pode causar problemas dentários, olheiras e cansaço, enquanto que, a alteração da mastigação pode causar flacidez, rigidez e rugas excessivas.

Orto c/c fono

A ortodontia é a especialidade da Odontologia que trata o posicionamento dos dentes e, para isso, lança mão de aparelhos móveis e fixos para corrigir a má oclusão dentária. O sucesso de um tratamento ortodôntico está em diagnosticar a causa das alterações dentárias, seja por respiração ou mastigação inadequadas.

A alteração da respiração (principalmente respiração bucal) pode causar alterações dentárias, olheiras e cansaço. Já a alteração da mastigação (principalmente de um só lado da boca) pode causar flacidez de um lado da face, rigidez do outro e rugas excessivas.

Quando há um trabalho integrado entre estas áreas, o tratamento ortodôntico, muitas vezes, pode ser concluído em menos tempo e com mais eficácia.

Prótese c/c fono

Em casos de desdentados totais, a avaliação fonoaudiológica é indicada em auxilio do cirurgião-dentista à identificação das causas da não-adaptação da prótese, auxiliando pacientes, principalmente, em relação à fonética (pronúncia de letras e palavras).

3 – Fisioterapia

A Fiosioterapia trabalhando em conjunto com a odontologia tem como objetivos: O alívio da dor, melhora da função articular, relaxamento articular e correção postural.

O desequilíbrio entre as arcadas dentárias frequentemente acarreta dores musculares na face, na ATM (articulação temporo-mandibular), pescoço, cabeça, limitação de abertura bucal, frequentemente irradiando à região temporal.

O cirurgião-dentista inicialmente deve estar atento à oclusão dos dentes (encaixe ideal) que leva ao bom funcionamento dos músculos. Alguns casos dependem de um tratamento em conjunto com a fisioterapia, atuando durante todas as fase do tratamento.

A fisioterapia se utiliza da massoterapia (A massagem tem como efeito a sedação e favorece a circulação), eletroterapia (estímulos elétricos celulares), tens (estímulos elétricos que geram contrações musculares, com funções de relaxamento e fortalecimento), infra-vermelho (analgésico e antiinflamatório), calor úmido (compressas), etc.

4 – Psicologia

Aplicada à odontologia visa identificar os acontecimentos psicológicos e sociais que se relacionam ao tratamento e relacionamento entre cirurgião-dentista e paciente, sendo, também, ferramenta útil no desenvolvimento de programas de prevenção de saúde bucal.

O trabalho do psicólogo auxilia a diminuir os níveis de ansiedade causados durante rotinas odontológicas consideradas invasivas ou aversivas. Enquanto que, no tratamento de bruxismo, DTM e dor crônica orofacial, auxilia na modificação de hábitos não saudáveis, no conhecimento das variáveis ambientais que desencadeiam dor ou apertamento dos dentes.

Dores de cabeça, vícios, tiques, dores musculares, bruxismo, entre outros sintomas, podem estar relacionados à ansiedade, insegurança, medo, pânico, depressão e, como pano de fundo, sentimentos reprimidos.

A terapia psicológica em auxilio ao tratamento odontológico proporciona ao paciente a chance de refletir acerca de seus problemas, propiciando-lhe maior bem-estar no atendimento.

5 – Nutrição

Atua, inicialmente, na formação dos dentes, ainda antes do nascimento da criança.

Uma dieta equilibrada torna o corpo capaz de assimilar os nutrientes necessários a uma boa saúde e, com isso, impedir que o meio bucal se torne vulnerável.

A dieta de um indivíduo, seja qual for seu valor nutricional, ocupa uma posição central no desenvolvimento da cárie. Alimentos que contenham elevado teor de carboidrato e açúcares contribuem significativamente à formação de ácidos que formam a placa bacteriana, que pode levar a cárie ou gengivite. Estes alimentos devem ser, preferencialmente, ingeridos durante ou logo após as refeições.

6 – Hipnose

A hipnose é provavelmente umas das formas mais antigas que o homem utilizou para tratar doenças e enfermidades. Hoje, ela é considerada uma ciência e, como tal, é aceita em diversos ramos da área da saúde, tanto pra o alívio da dor, quanto para o tratamento de fobias. É uma técnica de relaxamento, eficiente e segura.

É um estado diferenciado de consciência, intermediário entre o sono e a vigília. Nesse estado, o lado direito do cérebro, que trabalha a imaginação, é ativado, enquanto o esquerdo, mais racional, se relaxa.

É uma excelente ferramenta no controle da ansiedade e pode, em muitos casos, substituir ou potencializar as anestesias, diminuir sangramentos e a salivação, facilitando o tratamento.